segunda-feira, 30 de julho de 2012

Respira & Inspira

Pense e repense
Sinta
A brisa
Respira e Inspira
Atento ao som dos pássaros
Não ouça o martelo
Olhe o céu azul com algodão
Tente levar sua mente para outra dimensão
Agora estamos aqui  espelhados na água
Tudo parece sonho, 
Parece pouco concreto
Apenas corpo
Aos poucos você pode perceber
Há outras maneiras mais de ficar extasiado
Livre das correntes
Da poluição, da guerra, da fome, dos gritos
Dormente
Leve
Aqui estou.
Saudável.


sábado, 28 de julho de 2012

Brilho Eterno



Não sei por que, não sei não lembrar o que me foi ensinado pra não esquecer. Mesmo com condenação de amor ou morte. Queríamos mais, dançamos até de madrugada com as mãos grudadas e mesmo assim nos perdemos no tempo. Vi você, anjo de maltrapilhos limpos, partir dizendo que me amaria até o fim dos tempos. Os tempos acabaram e o amor permanece.
Para Deus, anjo reza, pedindo por um momento na terra e quando consegue se agarra ao escorregadio. Está morrendo, porém continua até desaparecer. Inacreditável. Até o fim. Ri, toca os lábios, abraça daquele jeito atrapalhado, porque não tem outro... Faz esquecer os últimos gritos. Faz ficar tudo bem. Até a próxima. 
Nós sabemos que não era pra ser assim. 
Foi nossa intensidade que acabou nos matando. 
E estamos a caminho, mas não no mesmo caminho..

quarta-feira, 25 de julho de 2012

eASy


Desde quando morrer é solução?
Seria muito simples dar um tiro na cabeça ou se enfiar na frente de um carro
Seria fácil demais se acreditasse que morreu, acabou.
Seria tão fácil como uma manhã de domingo
Cair direto no paraíso
Seria facilitado demais pelo cara lá de cima.
É a vida é um jogo por mais que você não queira
Somos peças em seu tabuleiro
E Deus lá sabe pra onde eu vou
O que será de mim quando eu acordar amanhã
Parece que tudo muda a medida que os carros correm
Os pensamentos que nem todos são sentimentos atuados
Alguns de repulsa. Outros... impulsos.
É orgulho ferido ,é pá virada e o revolver..
Bem..ele ainda está diante do criminoso
Esperando para ser usado.


''Eu quero estar nas alturas, bem alto
E quero estar livre para saber
Que as coisas que faço estão certas
Eu quero estar livre, apenas eu''
(easy)

Cara Quadrada


Joga-me no chão, me faz sentir quão quente está paralelepípedo.
Arrasta-me enquanto acelera, mas não conte que vá tirar tais palavras de minha boca.
Se for meu destino morrer assim, assim seja.
Assim seja o teu fim também, do jeito que for e quando for.
E cada vez mais tem parecido que minha saída é teu sangue.
Você só veio até a mim por pleno interesse, apenas.
É fácil fazer um filho, é fácil pedir perdão e quebrar promessas.
O alivio um dia virá quando puder esvaziar o peito diante cara quadrada
Depois que eu puder te fazer chorar cada pontada do meu peito
Acho que nasci mesmo pra resistir

Esperar-te-ei


Bom dia pedaço de paraíso! Por que me olhas assim? O dia ontem não foi bom? Nem tivemos tempo de conversar a noite. Correria não era o que eu desejava na verdade. Estar assim em horários intercalados.
Boa tarde pedaço de paraíso! Queria que soubesse que nunca te esquecerei. Todos aqueles momentos e toda a vida que tivemos passou porém ficará sempre. E eu estou aqui postado nessa rua e se você não chegar até as sete precisarei ir.
Boa noite pedaço de paraíso. Creio que não recebeu minha mensagem mais cedo, ou não deu tempo de olhar, ou quem sabe já até foi. Estarei partindo esse final de semana, ganharei uma festa de partida, é uma pena que não esteja. Desejo-lhe uma boa nova vida e espero lhe ver pelo menos na próxima encarnação. Ou quem sabe se tivermos sorte entre um sonho e outro. Esperar-te-ei

25 de Julho- Dia do Escritor


O melhor de tudo é o que penso e sinto, pelo menos posso escrever; senão, me asfixiaria completamente.
Anne Frank

Hoje é dia de mentes brilhantes.
Tem gente que se corta para sentir dor maior daquela que está dentro. Eu escrevo.
Tem gente que guarda tudo numa gaveta com chave única e explode depois. Eu escrevo.
E escrever é uma das poucas coisas que não larguei da infância.
E eu sinto amor, consigo amar o que eu faço.
Mesmo que não seja nada sério, é muito pra mim.
Assim me manifesto de algum jeito
Coisas criadas, existentes ou não.
A dor que não pode ser dita.
As feridas por baixo dos panos limpos.
As manchas de sangue...
Escrever dói, alivia.
Escrever faz sangrar, faz valer.
Nos fazer despir até a alma
Nos matamos, revivemos
Somos nós, somos os outros.
Escrever arranca pedaços
Às vezes até nos faz ver claramente a verdade
Faz conhecermo-nos por versos e não reconhecer também.
 Faz-nos tocar o mais profundo âmago.
Já rasguei papel com a ponta do lápis que tão forte marcava a folha.
Já brinquei de Samara, riscando tudo num circulo.
Já manchei a caneta com lágrimas que tentavam se conter.
Escrever já me levou de um cômodo até reinos distantes.
Escrever me faz maior, excede intensidade.
Escrever me faz alguém melhor.













PS:
Parabéns para todos os pequenos e grandes escritores que me acompanham aqui e os que não acompanham também.
Mais um PS para alguém que merece : Anne! Parabéns jovem escritora. Você tem um futuro brilhante pela frente. Obrigado por cada puxão de orelha e por cada texto revelado. Admiração pelo teu trabalho nunca morre.


terça-feira, 24 de julho de 2012

Asas de mundo _ Hide me Babe

"Porque não tem preço quando sou o motivo de você estar tão leve e sorrindo. Não tem preço "



Já vi que bons momentos não estão apenas em livros
Estou revivendo aquela estrada abraçando como eu quero
Estou com um sorriso no rosto e eu não posso acreditar
Penso em você.. 
Dizendo até você acreditar 
Matutando até entra em uma mente que provavelmente esquecerá logo.
Para assim dizer denovo
Provavelmente sim...
Mas então quais são as chances disso continuar
Preciso apenas que voe em minha direção. 
Me esconda querida com suas asas de mundo.


sábado, 21 de julho de 2012

Saindo...

Nem eu quero saber como vai ficar. 
Por onde eu ando, só a mim interessa.
Não queira saber da minha vida
Não queira olhar escondido
Não quero ter as regras que antes fazia questão
Não quero ver teu rosto
Mas se tiver que encará-lo
Fazer o que?!
Alguma coisa está diferente agora
Já está mudando há um tempo
Satisfação pela comida que azedou?

Pretérito Perfeito



Bem a primeira vez que eu te vi...
Você tinha um sorriso largo. 
Você me tocou de maneira surpreendente. 
Digo logo que foi paixão a primeira vista, mas isso virou amor.
Passamos por tantas coisas, achamos que nunca mais iriamos nos encontrar novamente. 
Já tive esperanças, já as perdi e brotaram novamente. 
Há um ano estávamos viajando pelo Iraque com burcas.
 Quando eu já não mais te esperava, você surgiu. 
Te procurava sem saber que era você, de novo.  
E você me via em outro alguém. 
E dessa vez tinha sido muito mais tempo.
Há 9 meses eu não quis outra pessoa a não ser você.
 Quando sumiu de minha vista há algum tempo 
eu estive por outros braços procurando por completude que só tinha com você. 
Porque era tão diferente, ser tão eu quando estava com você, sem você não podia ser. 
Porque eu sou sim um hiperativo problemático e você tão maravilhosamente estranha, 
a única que podia comigo, a única que me desafiava o bastante, 
a que entrou na minha vida e mudou tudo. 
Você era uma campeã por me aturar e sabia lidar com todos os meus humores. 
Você me acompanha no fato de todo dia ser uma aventura e eu era sortudo pra cacete.

Porque,...
Eu tive que mudar um texto...
Você teve que mudar você, por que?
Votos no lixo, só peço para que tampe.
Vamos lá guardar cada coisa nesse pretérito
Já que não fomos polpados desse fim.

RR; Relicário e Reticências

-Prefiro não pensar hoje
-Mas você existe, acredite
-Eu sei - ri.- Você me faz sentir isso.Mas não quero pensar nessas coisas.
Contentou a vergonha pelas palavras, mas não deixou de ruborizar, tentou manter o controle da situação -Então você sabe o que fazer.-
-Sei, mas...
-Mas..?
-...
-É insistente, hum.
-Sim, mas eu, não sei. Pode ser rápido, de repente. Passa logo.
-Sabe que não faz bem a você.
-Mas logo eu corro de volta para os teus braços.
Assim, a deixei mas uma vez e ela esperaria pacientemente, mesmo com todo o jeito preocupado, como sempre, e amoroso, como sempre também. Segui ao meu rumo, abri os grandes portões. Aquela casa além de clara e confortável, era escondida, afinal era pra ser. "Lá vou eu", pensei comigo mesmo. Afinal preciso de aventura e preciso dar as caras ao sol. Não sou mais um vampiro.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Lasciare


Fiquei olhando o templo velho e desmontado, tive uns efeitos estranhos na memória, achei que queria lembrar de algo, mas nada vinha. Eu ainda não sei porque estou aqui,  com a memória de uma realidade  que sou incapaz de tocar. Procurei alguns mapas e testamentos antigos, mas não achei. Então por quanto tempo ainda tenho que ficar aqui? Poderia escalar aquele muro alto? Na verdade sempre quis saber o que tem do outro lado.

Vem caminha comigo de mãos dadas, vamos derramar algum tipo de esperança para os desajustados. Vamos andar sorrindo mesmo com a chuva que cai. Vamos acreditando e  eles nos seguirão. Já não ouviu dizer que quando mudamos dentro de nós mudamos em volta também? Temos que manter a mente aberta para o mundo que está mudando. Vamos molhar os pés no riacho à frente. Vamos tentar voar, mesmo que não tenhamos asas. Podemos do nosso jeito. Abra os braços e roda. Esse é meu lugar. Eu e o mar. Vamos nos amar em tempo de guerra. Saber perdoar e seguir em frente sem medo de morrer no meio do caminho. Vamos usar nossa coragem para conseguir tudo isso. A vida pode ser mais simples, minha irmã. Pode sim, meu maior. Leia uma história de cama, zzzzz... Diz que vai ficar, quente ou fria não me importa, apenas fique comigo, sensação. Eu nem sempre tenho certeza para demora, a eternidade, aquele que se diz pra sempre. São momentos e não mais. Posso ser balançado eu vou sorrir, amém. E depois? Não sei. Vamos agradecer mesmo que passe direito e não sabemos pr’onde foi. Vamos beijar enquanto estivermos boca, falar. Língua minha deixe dizer. Até que estou gostando de crescer. Vamos olhar para o presente nosso e desejar que coisas fiquem e coisas vão. Se contentar com o que não passou ainda e o que passou demais. Vamos cantar até o dia que ainda fizerem musicas para musicar e mais valer o mundo. Vamos aceitar sem saber o porque de estarmos aqui, sem saber o que virá. Me remedie família. Da maneira que for, com o que e quem for. Alimentando tradição. Pinturas queimadas antigas. Vamos tirar novas fotos porque todas as outras foram queimadas. Meu bem, podemos ser melhores do que um dia fomos. Podemos temperar. Aparecer. Surpreender. Podemos VIVER.
Vem caminha comigo de mãos dadas. Vamos nos perder por ai, em qualquer costa, perdidos e achados. Desaprendendo para aprender de novo. Vamos tentar encarar o sol e rir da vermelhidão que nos toma. Vamos enfrentar o mérito e a anomalia. Tudo em uma coisa só. Partido e válido. Triste e venturoso. Tentando fazer sonhos saírem do travesseiro apenas. Vamos meu mundo não tão difícil de preencher. Não há monstros que não podem ser enfrentados. É, não há não.


quinta-feira, 19 de julho de 2012

Na Cabana

Quando tudo estava vazio e nada tinha nome...
Não quis olhar o temporal.
Aquele que eu disse que estava por vir.
O barulho é ensurdecedor.
Eu não quero nem sair na porta.
Quando tudo estava vazio e nada tinha nome...
Eu escolhi ficar com você dentro da cabana
Aquela que você jurou fazer invisível
E todo barulho virou música.(Grande repertório)
Quando tudo estava vazio e nada tinha nome...
Você me deu presença e apelidos.
A única coisa que vi quando acordei...
Você.
Quem eu quis pelo resto do dia e os outros também.

Empty Inside

"Não sei o que me fez ser o que eu sou, 
mas seja o que quer que tenha sido deixou um vazio interior."

Você precisa me deixar em paz. Você precisa descansar.
Engulo minha vontade de mandar você se foder. É um tipo de doença controlada para ficarmos 'felizes' um momento a mais por trás de toda nossa conexão falha.
Você precisa gritar sempre todo esse seu silêncio? 
Eu já te disse quão terrivel é a dor de um ignorado? 
Loucos não podem ser ignorados, viram bichos, e você sabe. 
É proposital. De nada vale mesmo.
Não quero ficar me vitimizando, quero viajar por todas as cidades com minha trupe.
Dizer que está tudo indo bem sem fingir.
Preciso não ter você comigo se for assim. 
Arranque minha pele fora, eu aguento. Esse sangue sujo..
Cansei de ter que dominar escuridão e me alimentar disso com a unica vantagem de ficar mais forte. Porque preciso aguentar toda esse inferno? Posso sentir sua ânsia de acabar com nossas vidas e com seu próprio mundo.
Prefiro deitar e fechar os olhos num sonho profundo, posso ter a sorte de estar bem longe disso tudo. Mas até lá tem medo.
As respostas as vezes estão perto, diante dos olhos, uma solução quase invisivel. As vezes só nós não queremos ver. É preciso arriscar, é preciso ter coragem. Cadê toda a coragem? Minada por um filho da puta por vinte e poucos anos. Só há fraqueza. ah, Amma...só há fraqueza...Quem dera se eu pudesse te abraçar forte e te dizer sem mentir que tudo vai ser diferente agora. 

terça-feira, 17 de julho de 2012

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Até os lábios perderem a cor



Eu não escolhi estar aqui deitado, na verdade nem sei por que estou, esperando por tudo ou nada, pelo que resta até minar tudo, até sair toda água. Eu não sei por que, mas estou com sede...
Mas então... Goles de água. Toques de amor. Palavras de encantamento, a curiosidade, a teimosia. O peito cheio de fogo. Os beijos poderiam ser incendiadores. O fôlego quase nulo. Somos tocáveis, inquebráveis e prontos para assassinar qualquer coisa.
“Amor, não pise em falso” disse.
Não pise em falso, pensei e firmei, mas falhei. Eu falhei.


São algumas migalhas, suficiente para viver. Um pouco de pão, vinho e teto. Uma cama grande e vazia com um bilhete "Volto já". Já, quando noite virar dia e voltar a ser noite e se tornar dia, como um circulo vicioso. tornando vicioso. Viciando, viciado em olhar da janela. A cada hora mais passos
"Amor, não pise em falso" pensou
Não pise em falso, sabia e firmei, mas do que adianta? Falharei.


Provehito in Altum*


"Não para todos, apenas para os que entendem"

É sede que eu sinto. Do infinito, do caminho por onde não foram
do que nunca foi falado. Do desconhecido.
É tudo que vai, é tudo que fica e que ainda está por vir.
E a qualquer hora pode se dar o ponto final.
Porque a insistencia com virgulas e reticencias?
Sinto raiva, sinto saudade e amor e sei lá mais o que
Ansia de conhecer, sensualizar, dominar.
Provocar energia dos instintos. Chama vulgarizada.
Sou a vontade, o desejo, o caminho atrativo sem saída
Estrada sem placas ou mesmo informativos. Apenas pistas e enigmas
E sensações! As malditas sensações!
Siga cores e simbolos, sinta o vento. Ar!
Onde te levaria? Seguiria o resultado ou o instinto?
O caminho pode ser fantasioso, ultra venenoso. Fantástico!
E seja qual for a estrada, mar de rosas e espinhos. Não faltará.
Cole seus lábios, sinta o gosto. Paladar.
Ouça o som, mais profundo silêncio com sussurros por ora.
Acredite não acreditando.
Quando passa a acreditar de verdade, as mentiras não tem mais valor
Apesar de existirem.
As mais lindas e doces.
Grotescas e cruéis.
E o que mais poderia esperar?
O que mais poderia querer?
Se tem tudo de perfeita maneria
Jogue a sujeira pra baixo do tapete, pise e sorria.
Toda sua vontade saciada a partir do momento que escolhe o caminho certo
A partir do momento que usar pontos finais
Em que não olhará mais pra trás.
Não olhe pra trás

sábado, 7 de julho de 2012

Peso do céu



Eu sei, é difícil pedir desculpas e ainda tem algo nos seus olhos que te deixa mais distante do que antes. Gostaria de saber como está a viagem e se é campo ou cidade, se há movimentações ou calmarias. O mundo é outro. Você nem tem mais lágrimas nos olhos e amor sai tão banal de seus lábios. Temos um céu acima de nós, mas você não me escuta mais. Você me ouve, mas não entende. Você dá adeus, mas não sabe por quê. E porque ainda estou preso em momentos que tivemos, estafado. Você diz, ”Por favor, não”, mas já é tarde. Eu sei que sou o único a prantear essas dores. Sei que sou o único que se implica com isso no fim, agora que o céu não mais te encobre e eu não sei pra onde você foi. Sinto-o me engolindo e isso é eqüitativo?
                                                                                ''Qual o peso do céu? Até onde ele vai?''

São as sensações


Prometo. Nunca, nunca vou parar. Vamos achar um jeito, apenas diga que me ama e eu te beijo embaixo d’água. Acabei de rir mesmo com seu pedido, acho que não agüentei. Gosto dos sons que faz com a boca. Deixe-me te beijar agora, estou perdido no meio do caminho e estamos com problemas. Não, não só eu. E você, continua passeando nossas mãos como discos voadores. Qual é! Você que escolheu vir para o chuveiro. Se estamos no caminho certo? Não temos muito com que preocupar e você precisa aceitar em silêncio esse fato verídico. Estamos livres e eu estou sendo seu nesse caso já há algum tempo. Eu disse não se preocupe e você continuou pedindo para que eu não parasse. Eu prometo, não vou, nunca vou parar. Estamos no caminho á caminho. É o que sentimos por dentro, aquilo que não dá pra esconder, mas ainda assim eu sinto que não enxergo o suficiente. Meu tudo, coloque as mão sobre a cabeça e sinta a sinfonia. São as sensações. O que está sentindo por dentro... O que?  Nada ainda é uma resposta esperando resposta. Ri de novo, pude ver o que estava pensando apenas olhando em teus olhos, uma criança assustada querendo casa. Cortemos-nos abertos, mentalmente e fisicamente. Espiaremos cada insight em sussurros profundos. O que você vê dentro de mim? Eu sei e nem tenho muito a esconder quando estou cortado aberto.
Meus pecados se esticam, minhas orelhas postas, mas eu não me importo. Apenas ponha as mãos em minha cabeça e cante como a sinfonia. Cortemo-nos abertos as sensações. São elas. Não vamos parar, não tão cedo.

RR ; Relicário e Reticências


" Guardou na caixa dourada, o relicário, o presente de tudo que não pode ser contado e nem medido. Guardou, mas o namorou durante longos minutos. Ainda está presente, ainda está aqui. Você e seus pontos sem finais. Suas reclamações em gemidos e sua esperança enjaulada, ainda está aqui com todas as suas e minhas reticências...'Shaum.)


1

-Já estou aqui.- Não respondeu. Quis dizer mais alto, mas ela ainda parecia dormir
-Shauna? Chamei-a
-Hum?- Gemeu e mexeu a cabeça, virando-a para o outro lado.

Seus cabelos castanhos caídos pelo travesseiro branco, os fios sobrevoavam em uma leveza e a culpa era toda do vento que partia da janela recém aberta por mim. Era preciso acordar. O relógio já batia 12:00, então avisei-a e ela riu, caçoando de mim como ontem a noite e eu dizia estar tarde, teríamos que dormir. Ela não ligava muito para o tempo, tinha a impressão que todos os seus relógios eram parados e talvez ela só tivesse mesmo um para saber a hora que deveria me encontrar. ''Uma leve espiadinha no celular''. Ela brincava.
Sorri sem tanta preguiça quanto ela, balancei-a e insisti no levantar.
-Deixe-me ver seu rosto- Pedi.
- Por quê? -Perguntou preguiçosa e prosseguiu. –Preciso de um espelho antes.
-Besteira. -
Fiz pouco caso e pra minha surpresa ela também. Sentou-se encorajada e os olhos imediatamente se voltaram contra a janela, pequenininhos para a claridade, gemeu de novo e eu só tinha a rir.

-Está um belo dia.
-Acredito em você.
-Sem essa! Vamos lá pra fora. – Sabia que estava me enrolando, mas estava de bom humor, sem bom humor implacável. Ela dizia ser bipolar, mas eu nunca a vira de outro jeito. Eu estava esperando uma resposta e quem sabe um sorriso, eu não aceitaria nada senão um “sim”. E ela me deu tudo que eu queria naquele momento e até mais. Flexionou as pernas, sentando sobre os calcanhares e esticou o corpo pra mim. Então ela sorriu e me deu um beijo rápido. Shauna sempre arrumava um belo e simples jeito de me impressionar. Soprou as letras em pouco som com os lábios tão próximos dos meus, senti o ar – B.D.B.- Bom dia, Beck. Quisera dizer. Sorri mais uma vez, impondo um sorriso dentro do outro. Encarando aqueles olhos tão perto e seu rosto perfeito que começara a fazer uma hesitação. Percebi que estava demorando tempo demais em meus pensamentos.- Bom dia - Tim-tim.

Inconscientemente Consciente


Custou a abrir os olhos e sorriu, ouviu o som dos pássaros que insistiam em bagunçar sua manhã, bem próximo as violetas na janela. Por motivos adorava aquilo. Passava cume de tranqüilidade, quis demorar mais na cama, mas a hora já marcava 8:20. Estranhamente hoje, mesmo com sono não ativou soneca. Espreguiçou de um lado pro outro, com uma ótima sensação de sonho bom, não se lembrava ao certo o que, mas sabia com quem. As imagens do sonho eram estranhas sempre a mente, custava a entender, mas sabia, era seu inconsciente, seu apego a tal arte, vamos chamar assim, prefiro.
Fechou os olhos e ficou ali apenas ouvindo e desejando os primeiros raios de sol, mas o quarto era escuro demais. Impulsionou-se a levantar e encarar o novo dia, o que vinha pra frente era tranqüilizador, queria estar em sintonia, descarregar a mente. Perdeu a hora como de costume, por sonecar demais na cama, mas não fazia mal, seu destino era perto.
Protegendo-se do frio da manha e arrastando os pés pelas folhas de inverno recém posto, caminhava pelo caminho que uns dias atrás acharia longo demais com toda a tensão e ansiedade de aparatar, chagar logo, agora era tranquilo. Estava friozinho e mesmo com a nova estação, o sol era bem tocante e estranhamente bom. Não teve pressa por mais que já batessem 9:00. O pensamento se desenvolvia na história do livro envolvente, queria terminá-lo aquela manhã. Foi 1 hora inconscientemente consciente. Voltou pelo mesmo caminho, parou a praça e sentiu os raios entre as folhas brilhantes. O sol tocava seus cabelos mais amarelos à luz do dia, sorriu com a aparência de parafina. O ar parecia mais puro, as folhas mais verdes, a mente mais aberta e mais centrada a toda aquela beleza natural, tudo aquilo que poderia não existir mais daqui a uns anos como o quintal florestal de sua casa. Resolveu guardar tudo, uma lembrança de logo mais e depois também. Tudo parecia mais bonito e nem ligou para os poucos velhos que passeavam pelo local, afinal, quanto tempo não assistia a manhã tão inconscientemente consciente?

terça-feira, 3 de julho de 2012

À Takeshi...

Você não precisa de uma arma contra uma doente.
Você não precisa apontar e puxar o gatilho quando tem sua lingua pérfida e palavras homicidas. Você acusa inferno mas é o próprio demônio. Sempre esteve estampado em teu rosto! Sempre! E não precisava estar com raiva pra isso. Não precisava estar soltando fogo pelas ventas. Cretino! Cuspiria da tua cara assim como cuspi em tua comida várias vezes. Te faria comer toda merda que me fez passar e não te livraria a cara perdoando por todo o fogo que colocou em minha vida, por toda a bagunça que causou na minha mente. Você não passa de um filho da puta sim! E sabe bem que eu encararia e te amaldiçoaria mais uma vez como tenho feito todos esses anos.
Quem é você pra falar de amor? Quem é você para exigir atenção?
Eu aprendi que para amar é preciso odiar. Obrigado pai pelos seus ensinamentos. amém!
Mas juro que se usares esta arma, eu lhe mato com a mesma.
Você nunca ligou para como iria ficar as cabeças das crianças. Egoísta. Que se dane os vinte e tantos anos infelizes e todos os outros que estão por vir. Que se dane porque você foi tão infeliz quanto, oh não, muito mais. É sempre assim, tem o trabalho mais difícil, o papel mais difícil, a maior dor.
Uma coisa é certa, não cometerei os mesmo erros. Não me permitirei semear ódio e sempre direi o merda que você foi, se possível excluir da minha vida. E ah se eu pudesse excluir sua existência de verdade, não precisaria passar pelos teus terrores. Não teria que sobreviver com tanto medo e nem esperando por uma tragédia a cada dia. A culpa de toda minha sombra é tua. Leve toda a culpa pelas coisas que não deram certo. Perdão nunca valeu de nada, amor também não. É cada um por si, família é o que nunca fomos.
 Raizo

Depress you

"Escolha saber um dos três: Quando, quem ou onde."


Continuou sentado, olhando o dia que chegava, mais um...
Pelo menos há uma distração por mais que a preocupação não o deixe, trabalho
Logo o frio diminui, não precisará lutar contra o formigamento, mas há rachaduras
Os lábios tremem brancos, dá pra sentir um gosto de ferrugem neles
Dá pra sentir saudades enquanto passa os olhos por esse lugar
Enquanto luta contra pesadelos
Quanto tempo aguentaria guardar tudo que está dentro?
Poderia tudo se fincar, tampando os poros de esperança
É preciso tomar decisões, mas quando não depende só de si é mais complicado
É quase impossível olhando por esse angulo, por essas pessoas.
O que resta de família nesse jogo medíocre?
Como vai estar amanhã.. não sei, não sei...

domingo, 1 de julho de 2012

Contra os carros


Que embrulho no estomago, depois de ter seguido um caminho você pensa se fez o certo. Correr contra os carros não é nada legal, não é meu propósito, gosto de persegui-los. Palavras contentes vêm até a mim e eu faço força pra sorrir, um impulso para o abismo com vozes atordoadas e outras cantando. “Lembre-se do quanto se arrependeu da outra vez”. Eu queria uma reviravolta, para que não tivesse motivos de cruzar com essa rua e contra os carros. Por enquanto posso pensar em começar a apagar provas e vestígios e então não sobraria muito de mim para exterminar.